Arquivo | outubro, 2008

let’s make love and listen to Death From Above

27 out

Touch me, squeeze me, bite me, taste me

Pull me, fight me, hold me – stay here

Hit me, scratch me, swallow me, need me

Know me, love me, feel me, burst me

Annoy me, tie me, deny me, kiss me

Let’s play, let’s hide, let’s drink

let’s ride

let’s be, let’s dance, let’s leave, let’s fly

let’s scream, let’s dream, let’s hug

let’s try.

não sei enfrentar temores.

9 out

Quase todas as noites me vejo às voltas com algum tipo de reflexão deprimente. Quando tudo fica silencioso e escuro e não há movimentos nem barulhos de vida à minha volta.

Essa ausência de ritmos pulsantes me joga num abismo sem luz e sem som. Fico comprimida pela solidão e por temores existenciais que me consomem, e quanto mais reflito sobre tudo mais bagunçada e apoplética fica a sensação de sentir o que está à minha volta.

Então eu tento parar. E escondo todos esses sentimentos e sensações angustiantes atrás de sorrisos, de livros (narcóticos), indivíduos e durmo para acalmar tudo, penso que irei acordar no dia seguinte, estarei aqui e tudo continuará normal, “como sempre”.

Mas essa consciência pulsante continua ali, despertando na próxima crise.

2 out

– Ich möchte dich nicht, sondern weil ich möchte dich.

Nur ich sterbe in dieser Geschichte, und ich werde sterben von der Liebe. Weil ich möchte dich, Liebe von Blut und Feuer.